• casa-e-tinta; pintura; cor; decor; decoração; lojas-casa-e-tinta
  • centenaria-madeira; madeira; wood; decoração; decor
  • loft-de-pegada-industrial-em-londres; loft; pegada-industral; decor-industral; decor; decoração; loft-em-londres
  • decor-monocromático; cor; monocromatico; decor; uma-cor; tom
  • geladeiras-customizadas; geladeira-samsung; geladeira-bespoke; bespoke; geladeiras; geladeiras-personalizadas
  • 30-itens-para-montar-um-aparador-arrasa-quarteirão; aparador; decoração; itens-para-decorar; aparadores; decoração-de-aparadores
16 set

Entre História e Modernidade

Luxo

Quem se maravilha com o luxo da fachada e do interior do Saint Pancras Renaissance Hotel em Londres está, sobretudo, encantando-se com uma viagem ao passado. É que o hotel inaugurado em 1873 constitui uma das obras primas da arquitetura vitoriana desenhada por Sir George Gilbert Scott, célebre por suas contribuições para moldar a paisagem da cidade londrina no século XIX.

Diz a lenda que o arquiteto concebeu todo o empreendimento em apenas três semanas de férias na praia e que utilizou 50 cadernos para fazer todas as anotações necessárias à criação. Com elementos arquitetônicos inspirados em catedrais, o hotel teve sua fase áurea entre a inauguração e os Anos 30. Mas, com o passar do tempo, o empreendimento foi recebendo cada vez menos manutenção. Em 1935, em franca decadência, o local encerrou suas atividades. Passado mais de meio século, porém, o prédio voltou a atrair atenção nos Anos 90 com a instalação da estação do trem Eurostar. Inicia-se assim a revitalização do Saint Pancras.

Hoje totalmente restaurado e modernizado, o hotel é um destaque na urbanística londrina. Foram gastos mais de 320 milhões de dólares no processo, mas quem tem o prazer de visitar ou se hospedar ali é unânime ao decretar que valeu cada centavo. O projeto de revitalização ficou a cargo dos profissionais da Aedas RHWL, um dos escritórios de arquitetura mais conceituados do Reino Unido. Com esmero, eles souberam captar toda a riqueza de detalhes do conceito original e dotá-lo de todo o conforto que o viajante moderno (e endinheirado) aprecia. Em suma: história e modernidade dialogam, sim, e com muita fluência.

Matéria de Leonardo Máximo, Advogado

VOCÊ PODE GOSTAR TAMBÉM
                     

 

 

INSTAGRAM
   Follow Me    ESTAMOS AQUI TAMBÉM